História do Tricô

Atualizado: Mai 21

Provavelmente sua avó, talvez sua mãe ou até você já tricotou alguma vez. Embora esta técnica pareça ultrapassada, na verdade está mais atual do que nunca. Fazer tricô relaxa e é terapêutico. É uma técnica milenar, presente em diversos países e muito utilizada na região sul do Brasil devido o clima frio. Continue a leitura para saber mais sobre o tricô.

O que é tricô?

O tricô é uma técnica comumente usada para entrelaçar o fio. Na atualidade, é muito conhecido por fazer este entrelaçamento utilizando duas agulhas sobre as quais colocam-se as malhas e vai-se entrelaçando o fio conforme o formato final desejado.

Os pontos base são: meia e tricô. E, é a partir destes dois pontos que a mágica acontece.

É impressionante os trabalhos que podem ser realizados com duas agulhas, dois pontos e a criatividade da tricoteira: produtos únicos, charmosos, feitos com carinho, verdadeiras obras-primas!

Como era de se esperar, o tricô nasceu no Egito, provavelmente 1000 anos a.C., onde foram encontradas meias tecidas com desenhos complexos. O entrelaçamento do fio era feito com a ajuda de ossos ou madeira. Mais tarde, os belgas levaram a técnica aos ingleses e as mulheres começaram a produzir meias e cachecóis para seus maridos e filhos a fim de se protegerem no inverno. A lã usada era pura e as mulheres mesmas a produziam.

Imagem: reprodução Google


Impressionante a complexidade da meia acima. Imagina este trabalho sendo feito 1000 anos a.C.!

O tricô se popularizou no final dos anos 60 e nos anos 70 o tricô artesanal (handmade) retornou e continua sendo feito até hoje.


Não é incomum as marcas de roupas incorporarem o tricô nas suas coleções: feitos à máquina, que começou a ser usada a partir do século XIX, ou de maneira artesanal (handmade) rendem vários looks interessantes de inverno e até de verão com linhas mais leves.

Imagem: site Círculo. Tricô Chanel.


Durantes as duas grandes guerras mundiais, as mulheres tricotavam peças para os soldados como a Balaclava que se tornou moda.

Você sabia que a cidade de Monte Sião em Minas Gerais é considerada a Capital Nacional do Tricô? E que Curitiba promove o Congresso Brasileiro de Tricô anualmente?

Curiosidade: nos tempos antigos o tricô era feito pelo homens, pois as mulheres tinham a função de produzir o fio com a roca de fiar.

Na Mitologia Grega, Penélope é a esposa de Ulisses. Era filha de Icário e Periboea. Ela aguarda por Ulisses durante todo o seu retorno da Guerra de Tróia, narrado na Odisséia, de Homero. Enquanto Ulisses guerreava em outras terras e seu destino era desconhecido, não se sabendo se estava vivo ou morto, o pai de Penélope sugeriu que sua filha se casasse novamente, mas ela, uma mulher apaixonada e fiel ao seu marido, recusou, dizendo que o esperaria até a sua volta. No entanto, diante da insistência de seu pai, para não desagradá-lo, Penélope resolveu aceitar a corte dos pretendentes à sua mão. Para adiar o máximo possível o novo casamento, estabeleceu a condição de que se casaria somente após terminar de tecer uma peça. Durante o dia, aos olhos de todos, Penélope tecia, e à noite secretamente ela desmanchava.


A mortalha tecida por Penélope para poder ser desfeita só poderia ser feita em tricô, visto que ela a desfazia a noite para ganhar mais prazo para espera do seu amado Odisseu (O tricô permite o descampionamento, que é um jeito rápido de desfazer um tecido de malha).

Fonte: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Interessante, né?! Saber a história é uma maneira de valorizar o que temos hoje.


Já conhecia a história do tricô?


Comente aqui se você sabe, gosta e/ou gostaria de aprender a tricotar.


Abraços e até a próxima!

11 visualizações
  • YouTube ícone social
  • LinkedIn ícone social
  • Instagram ícone social
  • Pinterest ícone social
  • Facebook ícone social

© 2019-2020  por  DVilanova Web Designer Developer | Orgulhosamente criado com Wix.com